fbpx

Candidíase Intestinal (Guia Definitivo)

mulher mao barriga

Fadiga crônica, irritabilidade e mudanças de humor repentinas podem parecer alguns dos sintomas característicos da depressão. Mas, como tais, também devem ser investigados com a ajuda médica. Isso porque podem representar possíveis indícios de outras doenças como é o caso da candidíase intestinal.

Considerada como um dos casos mais graves de candidíase, a candidíase intestinal pode ocasionar sintomas desagradáveis e, se não for tratada corretamente, complicações graves.

Isso porque pode evoluir para a chamada candidíase sistêmica, quando a infecção cai na corrente sanguínea e começa a prejudicar outros importantes órgãos do corpo.

Como podemos ver, a realização do diagnóstico da candidíase intestinal pode se tornar um problema por ser facilmente confundido com o da depressão, uma doença detectada apenas pela avaliação dos sintomas pelo psiquiatra.

Sabe o que é pior, neste caso? Que o consumo de medicamentos antidepressivos piora o quadro da doença e ainda acarreta efeitos colaterais.

Mas, como prevenir é sempre melhor que remediar, basta se aprofundar sobre a origem da doença, as suas principais causas e sintomas, que tudo pode ser esclarecido. Lembrando, como sempre, que só um médico pode realizar um diagnóstico exato.

O nosso objetivo, com este artigo, é apenas de trazer mais informações para ajudar você a entender mais sobre as causas, sintomas e tratamento da doença.

Com esta leitura, você vai descobrir:

  • o que é candidíase intestinal
  • quais são as causas da doença
  • principais sintomas da infecção
  • como é feito o diagnóstico
  • qual é o tratamento mais indicado
  • cuidados preventivos

O que é candidíase intestinal?

Causada pela proliferação do fungo Candida albicans, a candidíase intestinal é uma infecção que acontece quando o sistema imunológico está enfraquecido e a flora intestinal desequilibrada.

Ou seja, quando o corpo não conta com a quantidade suficiente de células protetoras (glóbulos brancos ou leucócitos) e o intestino de bactérias saudáveis (probióticos).

Com a baixa imunidade do organismo, o cenário se torna extremamente favorável para que o fungo comece a se multiplicar na região do intestino e a liberar pelo menos 79 substâncias tóxicas em sua ação metabólica, comprometendo o seu funcionamento.

Para você entender melhor sobre o impacto destas toxinas no intestino, só com a liberação de acetaldeído, por exemplo, que é a causa da ressaca, as enzimas metabólicas são bloqueadas, assim como a desintoxicação do corpo impedida.

A substância ainda destroi a vitamina B6 e reage com a dopamina, que é um neurotransmissor que combate a ansiedade, depressão e irritabilidade. Por isso, favorece o surgimento destes sintomas.

Ao identificar a liberação de toxinas, o sistema imunológico automaticamente gera anticorpos que podem, inclusive, causar reações alérgicas.

Lembrando que, geralmente, o fungo Candida albicans já existe no corpo, vivendo em pequenas quantidades no aparelho digestivo, na pele ou no sistema respiratório.

Porém, basta um simples problema digestivo, qualquer alteração da flora intestinal ou do sistema imunológico que o cenário se torna favorável para a proliferação do fungo.

Falando na região intestinal, sabia que o intestino abriga aproximadamente 100 trilhões de bactérias? Se fossem colocadas na balança, o peso total delas, considerando o tamanho microscópico que têm, pesaria cerca de 2 kg. Já pensou?

Pode parecer estranho saber que existem várias colônias de bactérias, como Lactobacillus Acidophilus e Bifidus, e outros microorganismos, como a própria Candida albicans, vivendo silenciosamente no intestino humano. Mas, elas fazem parte de seu funcionamento.

Coexistindo através do mutualismo, ajudam a manter o PH ácido ideal na região do intestino e também na absorção de metais pesados e na digestão do açúcar.

Porém, com a baixa imunidade do corpo esta troca mútua é quebrada. E, como consequência, acontece um desequilíbrio na flora intestinal e a química passa a se tornar ácida (com PH alto).

Com a mudança de cenário, que ganha acidez, a proliferação de invasores oportunistas, como a Candida albicans, é favorecida. Afinal, o fungo vai se multiplicando rapidamente e aproveitando a falta das boas bactérias extintas por causa da acidez da região para colonizar o canal intestinal.

Desta forma, ele pode aderir a mucosa gastrointestinal mais facilmente e, até, mesmo, invadir a corrente sanguínea.

Quais são as causas da doença?

Confira quais são os fatores que podem causar a infecção por Candida albicans, principalmente no intestino, e entenda como cada causa gera uma consequência para a saúde.

  • Consumo de drogas: baixa a imunidade e enfraquece o organismo.
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas: elevam o nível de açúcar no corpo e deixam o sangue mais ácido, favorecendo a proliferação do fungo.
  • Doenças autoimunes: diabetes, HIV e tuberculose, por exemplo, prejudicam a produção de células protetoras.
  • Estresse contínuo: libera o hormônio cortisol no sistema imunológico e aumenta os níveis de glicose no sangue.
  • Gravidez: hormônios como estrogênio e progesterona favorecem o desenvolvimento da doença.
  • Má alimentação: causa a deficiência de importantes nutrientes para o aumento da imunidade como ácido fólico, enxofre, ferro, vitamina B12 e zinco.
  • Tabagismo: a fumaça eleva o nível de agressividade da Candida albicans.
  • Uso de antibióticos: combate as bactérias boas e ruins, mas não a fermentação dos fungos e o enfraquecimento do sistema imunológico.
  • Uso de anticoncepcionais hormonais: destrói nutrientes como a vitamina B6 e provoca o aumento do nível de açúcar no sangue.
  • Uso de corticóides: apesar de combaterem inflamações, também possuem ação imunossupressora e reduzem os mecanismos de defesa do sistema imunológico.

Mas, entre tantos fatores que podem originar a candidíase intestinal, a causa mais comum é o consumo inadequado de antibióticos em um quadro de baixa imunidade, o que desequilibra a flora intestinal. Isso sem falar que o fungo é resistente à ação de antibióticos, uma vez que são medicamentos que combatem bactérias e não fungos.

O estresse contínuo e a má alimentação também são causas comuns que muitas vezes acabam passando despercebidas. Por isso é importante lembrar de manter a imunidade do organismo sempre em dia.

Sabia que, até mesmo, crises de candidíase em outras partes do corpo também podem indicar a presença da candidíase no intestino? Para acertar no diagnóstico, não deixe de consultar um médico.

Principais sintomas da candidíase intestinal

Como o melhor termômetro para indicar problemas de saúde, quando o corpo é infectado pelo fungo Candida albicans pode apresentar sintomas variados.

Entre eles: acne, alterações de humor, cólicas, depressão, desejo por doces, diarreias irregulares, dores, fadiga crônica, falta de concentração, falta de desejo sexual, gases, indigestão, intolerância a certos alimentos, insônia, irritabilidade, mau hálito, perda de memória, tontura e vontade frequente de urinar.

Caso ocorram mais de um destes sintomas, que podem piorar em ambientes úmidos, com mofo ou após o consumo de alimentos riscos em açúcar, busque orientação médica. Isso vale principalmente se forem sentidos de modo contínuo ou frequente, prejudicando a qualidade de vida do paciente.

Em alguns casos, a candidíase intestinal pode ser detectada através da presença de pequenas placas esbranquiçadas nas fezes. Estes resíduos brancos estavam na parede do intestino e se desprendem dele com a passagem do bolo fecal.

E é exatamente esta coloração esbranquiçada que dá nome ao sufixo da espécie do fungo: albicans (que vem de alba, branca).

Três coisas que você precisa saber sobre os sintomas da candidíase intestinal:

1. Em alguns casos, os sintomas associados com a candidíase intestinal podem ser sinais de outras doenças como alergias, diverticulite, doença celíaca, intolerância alimentar e síndrome do intestino irritável. Em outras palavras: são doenças que causam a candidíase como efeito colateral. Por isso, sempre tenha atenção ao que sente.

2. A doença pode afetar outras partes do corpo, como boca, pele, pênis, unhas e vagina.

3. A candidíase intestinal pode ser fatal caso não seja tratada rapidamente, caindo na circulação sanguínea e atingindo órgãos internos e outros tecidos.

Leia também:
Candidíase vaginal

Como é feito o diagnóstico?

Antes de procurar um infectologista é preciso consultar um gastroenterologista para que o diagnóstico mais preciso seja realizado.

Como toda doença infecciosa, a candidíase pode ser diagnosticada através da observação dos sintomas e da realização de um exame de sangue solicitado pelo médico.

Nele, o especialista consegue verificar se houve ou não um aumento no número de anticorpos. Afinal, o crescimento de leucócitos pode indicar a presença de uma infecção.

Já para entender se a infecção em questão pode ser uma candidíase intestinal, pode ser feito um exame coproparasitológico para pesquisar a presença de parasitas nas fezes. O procedimento também pode detectar a presença de células que indiquem a proliferação de fungos.

Outro exame que também pode indicar a presença de colônias de Candida albicans em uma análise mais aprofundada ainda é a coprocultura. E, nos casos mais avançados, as placas esbranquiçadas típicas da candidíase no intestino podem ser visualizadas através da colonoscopia.

No entanto, a realização destes exames são formas de se presumir a doença. Isso porque a Candida é um fungo que já vive no trato intestinal. Por isso, a presença do fungo no organismo não indica a doença.

A infecção fúngica só acontece quando o microorganismo se prolifera pelo intestino, prejudicando o funcionamento dele. Agora ficou fácil de entender, não é mesmo?

Candidíase instestinal: qual é o tratamento mais indicado?

Para o tratamento da candidíase os médicos geralmente costumam receitar medicamentos antifúngicos orais ou tópicos e também a recomendar a ingestão de suplementos alimentares para fortalecer a imunidade.

É claro que a dose indicada depende da gravidade do problema e também da saúde do paciente.

No caso da candidíase intestinal, o remédio oral mais receitado é o fluconazol. Já para a candidíase vaginal, cremes de uso tópico como clotrimazol ou miconazol, que devem ser aplicados na região genital.

Para complementar o tratamento indicado pelo médico de sua preferência a dica é melhorar os seus hábitos alimentares, reduzindo o consumo de açúcares e carboidratos de modo geral, além de incrementar o consumo dos nutrientes que vimos neste artigo.

Além disso, deve-se evitar o uso prolongado de antibióticos, corticóides e contraceptivos orais que facilitam o desenvolvimento das colônias do fungo.

Alternativas naturais podem completar o tratamento, como a ingestão de ácido caprílico, alho, óregano e pau d'arco.

Enquanto o consumo de iogurte natural e de probióticos favorece a reparação e o equilíbrio da flora intestinal, alimentos ricos em vitamina A, L-glutamina, ácidos gordos essenciais e queratina também devem ser bem-vindos.

Veja também:
Como tratar as principais formas de candidíase

Cuidados preventivos

Como a baixa imunidade do organismo é a principal porta de entrada para a multiplicação do fungo Candida albicans, os cuidados preventivos devem ser voltados ao reequilibrio do sistema imunológico.

Para aumentar a imunidade do seu corpo e prevenir o desenvolvimento de bactérias, fungos e vírus, é importante consumir alimentos com alto valor nutricional e cuidar da sua saúde, de modo geral.

Veja cinco dicas para prevenir a candidíase intestinal:

  1. Consuma bastante água para limpar o sistema digestivo e eliminar as células mortas.
  2. Evite consumir alimentos ricos em açúcar, carboidratos e glúten. Pois, eles alimentam o fungo já que possuem alto índice glicêmico.
  3. Inclua proteínas livres de aditivos e conservantes no seu cardápio. Isso ajuda a reduzir a velocidade da quebra de carboidratos, diminuindo a energia da Candida albicans para a sua proliferação.
  4. Mantenha a sua flora intestinal sempre em dia com o consumo de probióticos, bactérias boas que combatem a multiplicação do fungo no intestino.
  5. Consulte o seu médico sempre que sentir sintomas contínuos, incomodos ou frequentes. Afinal, a candidíase intestinal pode ter origem em uma condição não diagnosticada que leva a um quadro de debilidade física e imunológica, fazendo com que o fungo se prolifere por anos.

Reforçamos que manter uma alimentação equilibrada e praticar exercícios físicos regularmente ajuda a aumentar a imunidade do organismo e a prevenir o surgimento de doenças como a candidíase intestinal. Quer saber mais sobre a importância de manter o funcionamento do sistema imunológico sempre em dia? Confira tudo o que você precisa saber sobre baixa imunidade agora mesmo.

Deixe um comentário