Imunidade Baixa: (Tudo O Que Você Precisa Saber)

A imunidade baixa é aquele tipo de problema de saúde que todo mundo tem em algum momento da vida, mas que costuma passar despercebido. Ou, então, que é diagnosticado sem qualquer embasamento.

Em muitos casos, sintomas como unhas quebradiças e queda de cabelo podem parecer comuns. Mas, quando se tornam frequentes exigem uma investigação médica.

Com a chegada das estações mais frias do ano, ouvir falar sobre baixa imunidade não é raro. Isso porque, com a mudança repentina na temperatura, é comum que lugares fechados sejam mais frequentados, facilitando, assim, a transmissão de doenças infecciosas como a gripe.

Mas, a mudança de temperatura e as infecções não são as únicas causas da chamada imunodeficiência. E os seus sintomas podem ser facilmente confundidos com os de outras doenças.

Por isso, preparamos este artigo para ajudar você a entender o que é imunidade baixa, suas principais causas, sintomas e tratamento. Vale lembrar, claro, que o diagnóstico preciso só pode ser dado pelo médico de sua preferência.

Para facilitar ainda mais a sua vida, também vamos mostrar quando a ajuda de um especialista deve ser procurada e quais alimentos podem fortalecer o sistema imunológico. Vamos lá?

O que você vai ler a seguir:

  • o que é imunidade baixa?
  • quais são as causas?
  • quais são os sintomas?
  • qual é o tratamento?
  • quando ir ao médico?
  • quais alimentos fortalecem a imunidade?

O que é imunidade baixa: causas

mulher na janela com depressão

Para entender o que é imunidade baixa é preciso, antes, conhecer a função do sistema responsável por proteger o nosso corpo contra invasores que podem lhe fazer mal. Estamos falando do sistema imunológico.

Formado por glóbulos brancos, ou leucócitos, que são as células que combatem microorganismos e produzem anticorpos contra doenças, o sistema imunológico, como o próprio nome diz, cuida da imunidade do organismo. É ele quem vai combater organismos infecciosos e outros invasores como bactérias, fungos, vermes e vírus.

Para garantir esta proteção, ele é formado por milhões de células especiais, proteínas, tecido e órgãos. Funciona como uma barreira para evitar a entrada dos microorganismos que podem facilitar a instalação de doenças e para combatê-los caso se proliferem.

Quer ver dois exemplos que mostram como o sistema imunológico funciona? A própria extensão da pele, que é o maior órgão humano, e a acidez do estômago.

Quando alguma parte deste sistema começa a falhar, a proteção do organismo diminui. Ou seja, a imunidade baixa. E, então, os anticorpos se tornam insuficientes para combater as ameaças. Ou seja, com a diminuição dos glóbulos brancos o corpo passa a ter maior propensão para o desenvolvimento de doenças.

Então, podemos chamar de imunidade o nível de proteção do corpo: se está baixo, significa maior possibilidade para o surgimento de doenças, já se está alto, as chances de infecções são praticamente nulas.

Assim como a imunidade pode ser classificada entre alta ou baixa, a baixa imunidade pode ser classificada entre adquirida ou congênita.

Imunidade baixa adquirida é quando ela é causada por fatores internos como, por exemplo, uma infecção na garganta. Já a congênita, que também é conhecida como imunodeficiência primária, acontece quando se nasce com ela.

Quais são as causas que podem provocar o enfraquecimento do sistema imunológico?

Existe uma série de fatores que podem provocar a baixa imunidade do organismo, deixando o corpo mais vulnerável aos microorganismos infecciosos, incluindo doenças.

Atenção: embora algumas pessoas confundam os conceitos, doenças têm a ver com a invasão de bactérias, fungos e vírus prejudicias ao corpo humano, enquanto a baixa imunidade do organismo quer dizer que as células protetoras que combatem estas ameaças estão em falta.

Confira agora mesmo as principais causas do enfraquecimento do sistema imunológico:

  • ansiedade
  • consumo excessivo de bebidas alcoolicas
  • depressão
  • desnutrição
  • doenças autoimunes como artrite reumatóide, fibriomalgia, lupos e psoríase
  • doenças crônicas como anemia falciforme, diabetes mellitus, insuficiência renal e tuberculose
  • doenças neurológicas como epilepsia, esclerose múltipla, paralisia cerebral e síndrome de Down
  • estresse prolongado
  • exercícios físicos excessivos
  • exposição à radiação
  • exposição prolongada ao sol
  • fatores genéticos
  • idade avançada
  • insônia
  • má alimentação
  • obesidade
  • sedentarismo
  • solidão
  • tabagismo
  • quimioterapia
  • uso de drogas
  • uso de medicamentos imunossupressores como corticóides
  • variações hormonais como gravidez, TPM e menopausa

Muitas destas causas, como ansiedade, estresse e insônia são comuns ao dia a dia e, exatamente por isso, podem provocar a baixa imunidade do organismo e ao mesmo tempo passarem despercebidas.

No entanto, a dica é ter atenção aos sintomas. Caso persistam, se repitam ou provoquem maiores incômodos é preciso procurar orientação médica. Assim, o tratamento mais adequado é indicado, os sintomas amenizados e a imunidade do corpo pode ser restaurada.

Quais são os sintomas da baixa imunidade?

Vamos a uma situação prática que provavelmente já aconteceu com você e que pode ilustrar um caso comum de um sintoma de imunidade baixa: quando, como se fosse um recorde, você pega gripe várias vezes ao longo do ano.

Pode parecer uma trágica coincidência ou até mesmo azar, mas a verdade é que doenças simples e recorrentes como amigdalites, herpes ou gripe, também podem ser sintomas de que a proteção do seu corpo não vai bem.

No entanto, segundo os especialistas não existem regras: os sintomas aparecem de acordo com o órgão que estiver mais sensível. Caso as vias respiratórias sejam impactadas, eles se manifestam através de gripes e resfriados.

Outros sinais de que o sistema imunológico está enfraquecido são: alergia, cansaço excessivo, diarreia prolongada, dor de garganta, febre frequente, náuseas, olhos frequentemente secos, otite, queda de cabelo e vômito.

Entretanto, o principal problema, que vai além dos sintomas que acabamos de ver, é que como com a baixa imunidade o sistema imunológico fica enfraquecido, o organismo fica sensível a qualquer doença.

Em resumo, quando o corpo está com baixa imunidade ele fica mais suscetível a adoecer. E é aí que mora o perigo.

Infecções muito frequentes, por exemplo, podem indicar que uma doença que diminui naturalmente a imunidade do corpo está se desenvolvendo sem que se possa ao menos perceber. Aids, anemia, câncer e lúpus são algumas delas.

Por isso, voltamos a repetir a importância de consultar um médico ao persistirem os sintomas ou ao se tornarem frequentes. A atenção deve ser redobrada no caso de doentes crônicos e também de mulheres grávidas, que normalmente ficam com o sistema imunológico enfraquecido por causa das alterações hormonais.

É válido lembrar que este conteúdo tem o objetivo de informar as causas, sintomas e tratamento da baixa imunidade, mas não dispensa sob nenhuma hipótese a consulta médica. Combinado?

Qual é o tratamento para a baixa imunidade?

Como a imunidade baixa está diretamente relacionada com a falta de anticorpos e de proteção ao organismo, para tratar o problema é preciso fortalecer o corpo.

Vamos a algumas dicas práticas e rápidas de como melhorar o sistema imune?

  • Beber água para facilitar a renovação celular e a lubrificação das vias aéreas.
  • Consumir alimentos que ajudam a aumentar a imunidade do corpo, como antioxidantes, chás e vitamina C.
  • Lavar as mãos com frequência para evitar infecções e doenças.
  • Melhorar a qualidade do sono para fortificar e recompor o sistema imunológico.
  • Optar por realizar refeições mais saudáveis.
  • Praticar atividade física leve regularmente para eliminar germes e patógenos através do suor.
  • Tomar probióticos para manter as más bactérias do organismo exatamente onde elas precisam estar.

Uma curiosidade à parte é que os praticantes de ioga acreditam que estimular a glândula timo, que fica próxima ao coração, ou chakra coronário, ajuda a aumentar a imunidade natural do organismo. Com origem grega, o termo thýmos significa energia vital.

No entanto, para que a glândula seja ativada, é preciso praticar uma postura ioga onde o peito fica aberto à frente, além de relaxar e alongar as costas. Segundo os adeptos da ioga, este é um exercício que leva sangue e energia para o timo, melhorando o sistema imunológico do praticante. Interessante, não é mesmo?

Lembre-se que cuidar da imunidade do seu corpo é fundamental em todas as fases da vida, mas que merece uma atenção ainda mais especial em duas delas: na época em que somos bebês e quando ficamos idosos. Isso porque são momentos em que o sistema imunológico está frágil.

Como saber quando ir ao médico?

Ao perceber mais de um sintoma de baixa imunidade ou apresentar as doenças autoimunes, crônicas ou neurológicas como aquelas que vimos neste conteúdo, é preciso buscar ajuda médica.

Isso deve acontecer, por exemplo, se um resfriado demora muito para passar e se ele acaba sendo acompanhado também de uma manifestação de herpes.

A recomendação é que, sempre que houver repetições das complicações que a imunidade baixa causa no organismo, um especialista precisa ser consultado.

Assim que um paciente apresenta sintomas de baixa imunidade, os médicos costumam solicitar a realização de exames de sangue para obter um diagnóstico preciso. Desta forma, é possível verificar se o número de células de defesa (leucócitos) está baixo ou não.

Se o resultado for inferior ao mínimo indicado no exame, existe o indício do enfraquecimento do sistema imunológico.

Este tipo de diagnóstico pode ser feito tanto pelo médico de sua confiança como por um clínico geral ou um imunologista.

Quais alimentos ajudam a fortalecer a imunidade?

Garantir hábitos alimentares mais saudáveis ajuda a fortalecer a imunidade do organismo e, assim, a aumentar a resistência contra doenças infecciosas. Frutas, legumes, proteínas e gorduras saudáveis devem fazer parte da alimentação diária.

Entre os nutrientes que fortalecem a imunidade e que podem fazer parte de uma alimentação focada neste objetivo, estão: ácido fólico, antioxidantes, cálcio, ferro, selênio e vitaminas A, C, D, E e complexo B. Então, a dica é contar com a ajuda de um nutricionista para elaborar cardápios ricos nestas substâncias.

Entenda a importância de cada um destes nutrientes e remédios para tratar a imunidade baixa.

  • Acido fólico: responsável pela manutenção das células e fundamental para o crescimento e transformação metabólica das mulheres.
  • Antioxidantes: inibem a ação de radicais livres.
  • Cálcio: atua na manutenção da estrutura óssea.
  • Ferro: ajuda a carregar o oxigênio dos pulmões para o corpo.
  • Selênio: mineral que melhora o funcionamento da tireoide, acelerando o metabolismo do corpo.
  • Vitamina A: protege a pele e a mucosa, além de fortalecer o sistema imunológico e a defesa antioxidante.
  • Vitamina C: aumenta a produção de glóbulos brancos e de anticorpos.
  • Vitamina D: ajuda na absorção de cálcio e estimula as defesas naturais do corpo.
  • Vitamina E: ativa as células de defesa e diminui os radicais livres.
  • Complexo B: aumenta a quantidade e a atividade dos anticorpos.

A vitamina C é o nutriente conhecido como a principal solução para combater a baixa imunidade. Afinal, quem já não ouviu a recomendação popular: “Tá com gripe? Tome vitamina C!”. Isso acontece porque esta vitamina é uma das maiores impulsionadoras da imunidade e a falta dela realmente pode deixar o organismo mais propenso a adoecer.

Pode ser encontrada em alimentos como couve, espinafre, laranja, limão e tangerina. Também está disponível na versão de suplementos efervescentes ou em cápsulas.

Outros alimentos que ajudam a melhorar o sistema imunológico, estimulando a produção das células de defesa, são: castanha do Pará, cenoura, nozes, sementes de girassol, tomate, salmão e, claro, remédios caseiros como chá de equinácea e suco de morango.

Agora, na lista dos alimentos que devem ser evitados ao máximo estão: enlatados, pré-preparados e com conservantes químicos.

Para saber exatamente quais são os alimentos que podem ou não fazer parte de uma dieta focada no aumento da imunidade do seu corpo, não deixe de consultar um nutricionista.

Tudo preparado para combater a baixa imunidade e fortalecer o seu corpo agora mesmo? Então, continue acompanhando os nossos conteúdos para conferir dicas que podem ajudar você a manter a sua saúde sempre em dia!

Deixe um comentário