Tratamento para Candidíase: (Como Ganhar a Guerra)

O que fazer para ter sucesso no tratamento para a candidíase? Ela pode ter um nome que assusta, mas é uma doença mais comum do que parece. Estamos falando da candidíase, uma doença que acomete milhões de brasileiros todos os anos e, assim sendo, requer atenção ao tratamento adequado.

É importante lembrar que, apesar de também poder ser transmitida durante as relações sexuais, a candidíase não é considerada uma doença sexualmente transmissível (DST). Isso porque a contaminação não acontece exclusivamente pelo contato sexual.

E como toda infecção, pode trazer sérias complicações ao atingir órgãos internos ou cair na circulação sanguínea. Por isso, é fundamental seguir à risca o tratamento mais indicado.

Para facilitar o seu entendimento sobre como tratar cada tipo de infecção provocada pelo fungo Candida albicans, veja o que você vai aprender neste artigo:

  • o que é candidíase?
  • quais são os tipos de tratamento?
  • como podem ser combatidas as principais formas da doença?
  • quais cuidados devem ser tomados durante o tratamento da candidíase?

O que é candidíase?

Também conhecida como Candida por causa do gênero do fungo responsável por provocar a doença, a candidíase é uma infecção que pode se manifestar em diferentes partes do corpo.

Na maioria dos casos, aparece na região vaginal das mulheres e peniana dos homens. Mas também pode ocorrer no intestino e até mesmo durante a gravidez, quando o bebê é contaminado e pode transmitir o fungo novamente para a mãe.

Atualmente, já foram descobertas mais de 20 espécies do fungo do gênero Candida, mas a mais comum nos seres humanos é a albicans que recebe este nome por formar plaquetas brancas por onde aparece.

Já o tipo de infecção que mais provoca é a candidíase vaginal, que atinge 3 em cada 4 mulheres ao longo da vida.

Mesmo de modo silencioso, o fungo, normalmente, já vive no nosso organismo. Porém, não se prolifera quando cuidamos da nossa saúde, alimentação e praticamos exercícios físicos regularmente.

No entanto, basta uma pequena alteração no sistema de imunidade para que comece a se reproduzir e a se proliferar pelo corpo. Por isso, é uma doença diretamente relacionada com a chamada imunossupressão (baixa imunidade).

Fique por dentro das causas, sintomas e tratamentos da imunidade baixa.

Isto é, como toda infecção provocada por fungos, a candidíase só se manifesta se a Candida albicans se multiplicar pelo organismo. Isto é, se o fungo chegar até as partes do corpo que acabamos de ver.

Causando sintomas chatos, desconfortáveis e contínuos como coceira e ardência nas partes íntimas e manchas brancas quando aparece na boca, a candidíase pode atingir o sistema imune quando é sistêmica. É aí que mora o perigo.

Afinal, provocar a baixa imunidade do corpo é deixar as portas abertas para doenças virais graves como a aids. Isso, sem falar que ao atingir tecidos, órgãos internos ou cair na circulação sanguínea, a infecção pode se tornar fatal. Então, exige um tratamento adequado.

Quais são os tipos de tratamento da candidíase?

Mas, a boa notícia é que, para cada tipo de candidíase existe um tratamento. E ele pode ser feito tanto com o uso de remédios a serem prescritos por um médico como por meio de alternativas para um tratamento natural.

Quer saber outro ponto positivo do tratamento? Ele pode ser feito em casa e não precisa ter medo, pois nenhum procedimento dói. Só precisa ser seguido fielmente até o fim. Caso contrário, a doença pode voltar a se manifestar e se tornar o que os médicos chamam de candidíase recorrente, podendo se tornar sistêmica futuramente e trazer sérias complicações.

Vamos conhecer cada tipo de tratamento e como deve ocorrer no caso da candidíase vaginal, recorrente, peniana, intestinal e durante a gravidez? Então, continue com a gente, lembrando, claro, de sempre consultar um clínico geral para um diagnóstico preciso e indicação do especialista adequado. Só assim é possível chegar a um diagnóstico exato.

Como acontece o tratamento com remédios?

Os medicamentos usados para combater a candidíase são os antifúngicos de uso oral (comprimidos) ou tópico (de uso externo, como pomadas por exemplo). A prescrição do remédio depende da variação da doença.

Os mais indicados são: Canditrat, Clindamin-C, Clocef, Clotrimazol, Colpatrin, Colpistatin, Daktarin, Fentizol, Flogo Rosa, Fluconazol, Gynazole-1, Gyno-Icaden, Gynopac, Icaden, Itraconazol, Nistatina e Nitrato de Miconazol.

É importante lembrar que estamos apenas informando quais são os medicamentos que geralmente são receitados pelos médicos e não substituindo a sua visita a um especialista. Combinado?

Por isso, fique por dentro dos seguintes pontos de atenção:

  • ao sentir os sintomas, consulte um clínico geral para que ele possa diagnosticar o tipo de candidíase que você tem e indicar o especialista para tratar a sua doença;
  • jamais se automedique;
  • assim que o especialista prescrever a medicação para o combate à doença, continue o tratamento e não interrompa o processo sem avisá-lo antes;
  • não deixe de ler a bula do remédio indicado pelo seu médico e, ao surgir qualquer dúvida, problema ou reação estranha, procure a orientação dele.
    Afinal, os médicos são os profissionais indicados para dar as orientações específicas sobre o tratamento da doença, além de indicar o remédio adequado, dosagem, por quantos dias deve ser usado e esclarecer todas as suas dúvidas.

Tratamento Caseiro Para a Candidíase

Para quem prefere recorrer a alternativas naturais e caseiras para o tratamento da candidíase, como alimentos e chás, também existem uma série de opções.

Porém, a escolha de um tratamento natural não exclui a necessidade da consulta de um médico. Isso porque são caminhos que não costumam contar com o respaldo de pesquisas que comprovem sua eficácia.

Confira algumas opções de remédios caseiros para candidíase como alimentos, bactéria, chá, óleo e temperos comumente utilizados: alho, cápsulas de Lactobacillis acidophilus, chá de uva-ursina, iogurte natural, óleo de coco, orégano e vinagre de maçã.

Entenda a principal ação de cada um dos tratamentos naturais que acabamos de ver no combate à proliferação do fungo Candida albicans.

  • Alho: é um antibiótico natural para o combate à candidíase porque possui enxofre em grande quantidade.
  • Lactobacillis acidophilus: ajuda a repor a flora intestinal ou vaginal, controlando a doença.
  • Chá de uva-ursina: possui efeito antibacteriano e anti-inflamatório, ajudando a diminuir a reprodução do fungo.
  • Iogurte natural: conta com probióticos que combatem a infecção provocada pelo fungo.
  • Óleo de coco: rico em ácidos graxos, como cáprico e caprílico, tem propriedades que agem contra micróbios, eliminando e matando os fungos que causam a doença.
  • Orégano: apresenta ação antifúgica e antimicrobiana porque carrega carvacrol em sua essência.
  • Vinagre de maçã: contribui com o equilíbrio e aumento do pH natural do corpo, além de ser rico em enzimas que favorecem o controle da proliferação do fungo.

Tratamento para a candidíase vaginal

No caso do surgimento da doença na vagina, que apresenta sintomas como coceira intensa, ardência, corrimento leitoso e vermelhidão, os especialistas costumam receitar medicamentos orais, como comprimidos, e/ou tópicos, como pomadas ou cremes. O tratamento só deve ser realizado se ocorrerem os sintomas.

Também chamada de vulvovaginite por candida, a candidíase vaginal pode ser dividida em dois grupos: recorrente ou não-recorrente.

Candidíase vaginal recorrente

Como o nome já dá a entender, a doença é considerada recorrente quando ocorre mais de três vezes por ano e provoca sintomas graves. E pode ser chamada de complicada quando acomete grávidas, pacientes com diabetes mal controlado ou doenças que provoquem baixa imunidade.

Candidíase vaginal não-recorrente

Quando é considerada não-complicada e não-recorrente, a candidíase acontece no máximo três vezes por ano e não manifesta sintomas graves.

O tratamento por via oral costuma a ser o mais comum neste caso, apesar de apresentar maior taxa de efeitos colaterais e demorar até 48 horas a mais que pomadas para aliviar os sintomas.

Leia também:
Candidíase vaginal: causas, sintomas e tratamento

Tratamento para a candidíase recorrente

O tratamento para a candidíase que se manifesta em episódios mais frequentes que três vezes por ano exige um esforço maior para:

  1. combater os fatores que provocam o aparecimento de sintomas ou de doenças;
  2. eliminar a infecção provocada pelo fungo;
  3. evitar que ela aconteça novamente.

Por exemplo, se a causa da infecção começa pelo uso de um anticoncepcional à base de estrogênio, hormônio que facilita a proliferação do fungo, o seu uso deve ser encerrado de imediato.

Vale lembrar que, como a candidíase acontece quando o corpo perde imunidade, os sintomas também podem indicar doenças graves, como aids ou leucemia. Para acertar no diagnóstico é preciso buscar a ajuda médica.

Tratamento para a candidíase peniana

Já no caso dos homens, o tratamento da candidíase que atinge a região do pênis pode ser feita com remédios antifúngicos em creme ou em pomada.

As opções mais indicadas são o Clotrimazol ou o Miconazol, com posologia de uso duas vezes por semana no local afetado. Na maioria dos casos, o tratamento deve ser mantido por até 15 dias.

Assim como nos outros tratamentos, também pode ser realizado em via oral e de modo mais simples, com uma dose única de um comprimido de 150 mg de Fluconazol.

É importante ter atenção aos sintomas porque eles também podem indicar a instalação de outra doença no corpo: diabetes mellitus. Por isso, a dica é consultar um especialista para que o diagnóstico mais assertivo seja realizado.

Tratamento para a candidíase intestinal

Afetando os órgãos genitais, cavidade oral ou intestino, a candidíase intestinal possui sintomas difíceis de serem identificados. Isso porque, geralmente, ela é apenas um efeito colateral de outras doenças como diverticulite, doença celíaca ou síndrome de Crohn.

Mas pode ser diagnosticada através de um exame de sangue que revela a quantidade de anticorpos contra o fungo.

O tratamento da candidíase intestinal pode ser feito com remédios orais e a sua posologia depende do tipo de medicamento receitado pelo especialista e também da gravidade do problema.

Tratamento para a candidíase na gravidez

Como durante a gestação é normal que a imunidade da mulher seja comprometida para poder abrigar e alimentar o bebê, é comum que aconteçam alguns episódios de candidíase.

Para combater a doença, o tratamento deve ser prescrito pelo ginecologista obstetra que acompanha a gravidez. Neste caso, um medicamento tópico muito receitado é o Flogo Rosa que é usado na ducha vaginal e possui efeito anestético que diminui os sintomas.

Cremes ou pomadas vaginais também costumam ser indicados. São remédios que ajudam a flora vaginal a se reequilibrar e que reduzem as chances do fungo ser transmitido para o bebê na hora do parto normal.

Quais cuidados devem ser tomados durante o tratamento da candidíase?

Para finalizar a sua leitura, vamos aos cuidados a serem tomados durante qualquer um dos tratamentos que vimos até aqui:

  • manter a higiene corporal sempre em dia, evitando que o fungo possa chegar a outras partes do corpo;
  • reduzir o consumo de doces e de carboidratos de modo geral, já que aumentam o pH ácido do corpo e propiciam a proliferação da Candida;
  • preferir roupas de algodão e pouco apertadas para ajudar o corpo a transpirar corretamente;
  • evitar relações sexuais, visto que o contato íntimo é uma das formas de transmissão do fungo e a candidíase vaginal causa ardor nas partes íntimas da mulher;
  • evitar o uso de antibióticos, que protegem o corpo de bactérias, mas não de fungos;
  • incluir nas refeições, sempre que possível, alimentos com ação antifúgica como aqueles que são usados em tratamentos caseiros da doença.

Lembre-se sempre de buscar ajuda médica assim que apresentar qualquer sintoma que cause desconforto ou complique sua rotina.

Agora que você já conhece as principais formas de tratamento da candidíase, deixe nos comentários deste post quais temas relacionados à saúde que você gostaria de ver por aqui. Sua opinião é muito importante para que a gente possa entregar exatamente o que precisa!

>> Vídeo

Deixe um comentário