Candidíase no (Homem): Tudo Que Você Precisa Saber

Quem ouve falar em candidíase ou em Candida geralmente associa a doença às mulheres, mas a verdade é que ela também afeta os homens.

Assim como na mulher, a candidíase no homem provoca sintomas incômodos e contínuos. Coceira, dor e vermelhidão na região do pênis são alguns deles e exigem atenção. Afinal, basta um descuido em público e a situação de coçar a parte íntima pode se tornar constrangedora.

Ao contrário do que muitos pensam, a infecção não é causada apenas por relações sexuais sem proteção. Até mesmo crianças podem desenvolver o problema.

Muitas pessoas torcem o nariz quando ouvem falar da doença, mas a verdade é que ela não passa de uma infecção causada por um fungo oportunista. Vamos falar mais sobre ele (Candida albicans) a seguir.

Para esclarecer o que é candidíase e como essa doença se manifesta nos homens, preparamos este conteúdo.

Veja só o que você vai entender sobre a candidíase no homem:

  • o que é candidíase
  • como se manifesta a candidíase no homem
  • sintomas da candidíase masculina
  • principais causas
  • quais são os fatores de risco
  • como é feito o diagnóstico da doença
  • como tratar
  • como prevenir

O que é candidíase?

A candidíase é uma infecção fúngica (causada por fungos) que se manifesta quando o organismo está enfraquecido, seja por fatores internos como externos. Mais adiante vamos explicar quais são, mas podemos antecipar que o uso de antibióticos e consumo excessivo de açúcar estão entre eles porque favorecem o desenvolvimento do fungo.

Com a baixa imunidade do corpo, o fungo Candida albicans encontra as condições adequadas para se proliferar. Então, começa a se multiplicar e a alcançar diferentes regiões do corpo como a boca, o intestino e os órgãos genitais.

O que provoca uma intensa reação inflamatória, caracterizada pelo surgimento de placas brancas. Por isso, a terminação “albicans” que vem de alba, branca.

Leia mais sobre os outros tipos de candidíase:

É interessante perceber que, em situações normais, a presença da Candida no organismo não oferece perigo à saúde. Isso porque o fungo habita naturalmente a boca, o órgão genital, a pele ou o trato gastrointestinal do ser humano desde o nascimento.

Entretanto, é considerado um germe oportunista. Basta uma pequena alteração no sistema imunológico ou na flora natural de bactérias do organismo e, pronto, o fungo começa a se reproduzir sem limitações.

Por isso, ter o fungo alojado dentro do corpo não quer dizer que alguém está com candidíase. A infecção só é caracterizada quando ocorre uma proliferação da Candida. Ou seja, quando o fungo começa a se reproduzir e ganha proporções realmente ameaçadoras dentro do corpo.

Para entender melhor sobre a diferença entre a situação normal do fungo no organismo e da infecção, considere a quantidade de fungo e a presença dos sintomas. Em condições normais, o fungo não penetra na pele. Já em anormais, pode chegar até à corrente sanguínea.

Em casos mais graves, quando o sistema imunológico está muito debilitado ou a doença é recorrente, a infecção pode atingir o sistema nervoso central.

Então, desde a prevenção ao tratamento é essencial seguir corretamente as orientações médicas. Assim, reduzem-se as chances do episódio acontecer novamente.

Lembramos que a internet é uma poderosa fonte de pesquisa sobre as principais causas, sintomas e tratamentos das doenças. Mas nunca deve substituir uma consulta médica. Combinado?

Como se manifesta a candidíase no homem?

No homem, a candidíase pode ganhar outros nomes ao atingir regiões mais específicas do aparelho genital masculino. Quando causa a infecção da glande, é chamada de balanite. Já quando atinge o prepúcio, é conhecida como balanopostite por cândida.

O fungo encontra entre a glande, cabeça do órgão, e o prepúcio, pele que a recobre, o local adequado para se proliferar: quente, escuro e úmido.

Menos comum do que a candidíase vaginal, no caso das mulheres, a candidíase no homem geralmente é causada por problemas de saúde que deixam o organismo mais vulnerável à proliferação do fungo.

Os casos mais frequentes têm como principais causas a higiene precária na região do pênis e o acometimento do organismo por doenças crônicas como a diabetes.

A infecção fúngica causada pela Candida também pode aparecer na boca (oral), no esôfago (esofagite) e na pele (intertrigo candidiásico).

Nos casos mais graves, quando se torna candidíase disseminada ou sistêmica pode atingir a corrente sanguínea e afetar os órgãos internos causando complicações gravíssimas.

Fique por dentro dos sintomas da candidíase masculina

Assadura, dor, inchaço e vermelhidão da glande são alguns dos sintomas da candidíase no homem. Também podem aparecer placas esbranquiçadas no pênis que causam ardência depois da relação sexual.

E, ainda, corrimento semelhante ao sêmen, descamação da pele, odor forte e surgimento de pequenas bolhas, feridas e úlceras. Sintomas bastante incômodos, concorda? Trazem desconforto até mesmo para o contato íntimo.

Entretanto, é importante saber que esses sintomas também são característicos de doenças sexualmente transmissíveis. Por isso, assim que eles surgem é recomendada a imediata busca de orientação médica adequada.

Existem pacientes que apresentam as placas brancas ou feridas sem relatarem qualquer sensação estranha. Por isso, outra dica é ficar de olho na região sempre que ela for higienizada. Isto é, todos os dias. Por mais clichê que essa recomendação pareça, ainda existem pessoas que não higienizam a região genital de modo adequado. O que favorece a proliferação de fungos e bactérias nocivas à saúde humana.

Principais causas da doença

A diabetes é a principal causa da candidíase no homem, seguida pelo HIV e lúpus. Vale lembrar, mais uma vez, que a candidíase não é uma doença sexualmente transmissível.

Como o fungo Candida albicans já habita o corpo humano, porém em quantidade insuficiente para causar problemas, se prolifera quando o organismo dá sinais de enfraquecimento.

Fato que comprova o motivo pelo qual bebês, freiras e pessoas que não mantém uma vida sexual ativa podem desenvolver um quadro de candidíase.

Mas, também pode ser transmitida através do contato sexual. Se a boca ou a vagina da mulher estiver colonizada pelo fungo, uma grande quantidade pode ser transmitida ao pênis.

Porém, a infecção fúngica só acontece se o sistema imunológico do homem já estiver enfraquecido. Caso esteja fortalecido, a balanite não se instala e o fungo perde as forças.

Se a doença for muito frequente é aconselhado fazer um exame de sangue para avaliação de outros problemas que possam estar prejudicando a imunidade do organismo.

Quais são os fatores de risco?

Confira quais são os fatores de risco que facilitam a proliferação do fungo Candida na região genital do homem:

  • altos níveis de estresse
  • baixa imunidade do organismo
  • desnutrição ou alimentação desequilibrada, com consumo excessivo de açúcar e gordura
  • doenças crônicas como diabetes mellitus e gripe
  • doenças imunossupressoras como HIV e lúpus
  • má higienização do pênis
  • obesidade
  • partilha de objetos de uso pessoal
  • quimioterapia
  • relação sexual sem utilização de preservativo com parceira infectada pela manifestação do fungo Candida albicans
  • tabagismo
  • uso de drogas imunossupressoras ou pesadas
  • uso de fraldas
  • uso recente de antibióticos, antidepressivos ou corticóides

Como acontece a consulta médica?

A candidíase masculina pode ser diagnosticada pelo urologista, médico especialista no sistema urinário masculino.

Para facilitar o diagnóstico, a dica é ter em mente quais são os sintomas que estão sendo sentidos e há quanto tempo apareceram. Também é fundamental informar o médico sobre o uso de medicamentos e, claro, abrir o jogo caso tenha ocorrido o consumo de drogas.

Não se esqueça que o profissional da saúde escolhido precisa ter uma visão total sobre o caso para que possa sugerir o tratamento adequado.

Como é feito o diagnóstico da doença?

Na maioria dos casos, para fazer o diagnóstico da candidíase no homem basta o médico examinar a região afetada visualmente. Ou seja, fazer uma avaliação clínica. Isso porque a região genital, quando afetada, apresenta características comuns da infecção fúngica como placas brancas, odor pronunciado e vermelhidão.

A proliferação do fungo pode ser confirmada com um procedimento de raspagem de parte da lesão. Ao analisar essa pequena amostra no microscópio o especialista consegue identificar a presença ou ausência de leveduras da Candida.

Exames de sangue podem ser solicitados, ainda, para a descoberta das causas da infecção.

Atenção: jamais se automedique, pois isso pode piorar ainda mais os sintomas da doença e complicar o quadro de candidíase peniana.

Como tratar a candidíase no pênis?

Para tratar a candidíase no homem os médicos costumam a recomendar tanto o uso de cremes como de pomadas antifúngicas de uso tópico. Entre os medicamentos mais receitados estão o Cetoconazol, Clotrimazol, Econazol, Fluconazol, Miconazol e Nistatina.

São remédios que controlam a proliferação do fungo causador da candidíase e impedem sua reprodução. Destaque para o Fluconazol que costuma a apresentar sinais de melhoria em até 24 horas (um dia).

Nos casos mais comuns, a aplicação de pomadas e antimicóticos na região genital já é suficiente para aliviar e resolver os sintomas identificados. Já quando o problema se torna recorrente, isto é, frequente, é recomendada a ingestão de medicamentos de uso oral.

O tratamento deve ser realizado conforme as orientações indicadas pelo urologista e pode durar até 21 dias, dependendo dos sintomas e, claro, da gravidade da doença.

Durante ele, é indicado preferir vestir cuecas de algodão largas para ajudar a pele a respirar e a manter o pênis seco. Roupas muito quentes, úmidas e apertadas devem ser evitadas porque favorecem a proliferação do fungo.

Outra recomendação é evitar ao máximo coçar a região. Uma vez que os cortes são causados pela comichão, facilitam a invasão do fungo à corrente sanguínea.

Para homens que têm interesse em um tratamento natural para amenizar os sintomas, a dica é fazer o uso do chá de uva-ursina. Um remédio natural que ajuda a conter a reprodução do fungo. Outras alternativas são iogurte natural e banhos de assento com vinagre.

Vale lembrar que o tratamento natural não exclui a necessidade de seguir com os medicamentos e orientações indicadas pelo seu médico.

Atenção: se a doença não for tratada adequadamente aumentam-se as chances de que a candidíase reapareça. Quando o tratamento realizado é rompido antes da hora ou feito de modo errado, a doença pode ressurgir e se tornar o que os médicos chamam de candidíase peniana recorrente.

Isso sem falar que o tratamento inadequado também pode causar uma irritação crônica da pele, causando a perda de elasticidade, o que só se corrige por meio de uma cirurgia.

Como prevenir a doença?

Para prevenir a candidíase no homem e não deixar que ela se se torne uma candidíase peniana recorrente é preciso seguir algumas orientações:

  • consumir antibióticos apenas com orientação médica
  • evitar o consumo de açúcar em excesso, assim como bebidas alcoólicas, que são considerados combustíveis da Candida
  • evitar usar roupas apertadas ou molhadas
  • fortalecer o sistema imunológico com uma dieta equilibrada
  • manter a região peniana higienizada diariamente com sabonetes suaves e, principalmente, após cada micção ou relação sexual
  • manter o corpo hidratado ao consumir pelo menos dois litros de água por dia
  • manter uma dieta saudável para potencializar a imunidade do organismo
  • não fumar
  • praticar exercícios físicos regularmente
  • usar preservativo sempre que houver relações íntimas

Atenção: ao higienizar o pênis é recomendado utilizar produtos compatíveis, visto que existem alguns que podem causar irritações e prejudicar ainda mais a flora bacteriana da pele do pênis.

Viu como com alguns cuidados em vista é possível se prevenir contra a candidíase no homem? Ressaltamos, então, que somente um médico urologista pode fornecer o diagnóstico exato da doença. Para passar longe de infecções como a candidíase, mantenha o sistema imunológico sempre fortalecido. Quer saber como fazer isso? Então, vale a pena conferir também como proteger seu organismo da imunidade baixa.

Deixe um comentário